sexta-feira, 18 de novembro de 2016

domingo, 30 de outubro de 2016

ESTOU... NESTA

legenda

Nem o Carlos Lopes sabia da contratação de Nelson Évora"

Pela primeira vez, um dirigente do Sporting descreve como foi contratado Nelson Évora. O dirigente aborda o interesse em Telma Monteiro, deixa críticas ao ciclismo e anuncia que quer ser campeão em hóquei, andebol, futsal e atletismo. Se algum falhar, assume, será uma desilusão
De quem foi a ideia de contratar Nelson Évora?
Não houve uma ideia propriamente dita. Conheço-o há muitos anos, estivemos em Pequim 2008...
Aí, as coisas não terminaram bem na relação com o Nelson Évora devido ao facto de Marco Fortes ter regressado mais cedo a Lisboa.
Isso são episódios que acontecem. O Marco Fortes está cá. Ninguém acreditou mas continuo a dizer que o Marco não foi mandado regressar a Lisboa. Estava previsto. Pediu para ficar, mas não era possível.
Nelson Évora disse que o senhor tinha sido "uma vergonha".
Já passaram oito anos, basta confirmar no relatório do chefe de missão que foi assim como estou a dizer. Isso está ultrapassado.
Como se desenrolou a contratação de Nelson Évora?
Acompanhamos as notícias e era evidente, de há um mês a esta parte, que havia alguma coisa. Ele afastou-se do seu treinador de sempre, João Ganço. Havia algo a mudar e isso tinha que ver com a sua assistência de carácter técnico e também com o resto. Vou recuar. Há quase quatro anos, quando fomos eleitos, tinha a ilusão de que podia nas modalidades fazer um bocadinho melhor do que algumas pessoas noutros clubes. Aqui era difícil porque vim substituir Moniz Pereira. Quando cheguei, o Sporting tinha dificuldades financeiras. As modalidades, com exceção do futsal, viviam a meio gás. Era preciso mudar. Começou a ser possível quando o presidente fez a reestruturação financeira. Os bancos não acreditavam neste conselho diretivo, consideravam o presidente muito novo mas verificaram que tínhamos condições. Isso facilitou a reestruturação e as modalidades alcançaram estabilidade financeira. Houve outra mudança que foi a quotização.
Passou toda para o clube...
Agora sim, a 100%. Mas quando entrámos só tínhamos direito a 40%.
Estamos a falar de quanto anualmente? Sete, oito milhões?
Mais. As modalidades estão a correr melhor do que previ, mas o futebol é o alfa e o ómega do clube. Se as coisas correrem bem no futebol temos mais gente a pagar quotas...
Quanto é o orçamento total para as modalidades?
Ronda os dez milhões de euros. No ano passado já fizemos algum investimento no atletismo, no andebol, etc. Mesmo no atletismo fizemos escolhas. Com o orçamento que tínhamos não dava para sermos fortes nas mulheres e nos homens. Decidimos ficar com as senhoras e dispensar atletas masculinos. Fomos campeões nacionais e europeus de atletismo feminino. Percebemos que este é o caminho a seguir desde que haja dinheiro. Reunimos e encontrámos mais algum: 2,8 milhões. Com esta verba é possível fazer triagem. O andebol ainda só perdeu um jogo, o hóquei nenhum. E perguntámos como seria no atletismo. Decidimos apostar nos homens para ganhar este ano a nível nacional e em 2018 a nível europeu em femininos e masculinos. Vimos as pontuações que precisávamos. Fez-se um estudo e a partir daí...
Chegou-se a Nelson Évora.
Sabíamos pelas notícias que algo se passava. Mas há outra situação: precisávamos de condições. Fizemos um gabinete olímpico e para o dirigir fomos buscar a ex-atleta Sílvia Saiote. Finalmente, era necessária uma unidade de apoio médico que, segundo o presidente, é melhor do que a do futebol. Agora temos todas as condições. Veja, temos uma sala com magníficas condições de receção e esperamos, de braços abertos, que as pessoas venham ou não. E elas começaram a aparecer.
Quem se lembrou de Nelson Évora e quanto tempo demoraram as negociações?
A ideia foi das três pessoas envolvidas nisto: eu, o presidente e o Rui Caeiro, vogal do conselho diretivo. Mais ninguém sabia.
Carlos Lopes, responsável máximo do atletismo, não sabia?
Nem o Carlos Lopes sabia.
Quanto tempo guardaram segredo?
15 dias e foi guardado até à hora da apresentação.
Duas semanas antes da sua apresentação no Sporting-Tondela o Nelson Évora estava contratado?
Não, estava-se a negociar.
Como reagiu Nelson Évora quando foi abordado pelo Sporting?
Ele já tinha dado sinais de descontentamento. Mudou de treinador, foi para Espanha... portanto, pensámos, já agora completa a mudança.
Há quem compare a contratação do Nelson Évora à de um futebolista.
Disparate.
É verdade que teve direito a um prémio de assinatura de 50 mil euros e que o Sporting lhe paga 10 mil euros por mês?
Isso são tudo especulações.
Mas ganha menos?
Se estou a dizer que é especulativo é porque ganha menos.
Luís Filipe Vieira disse a propósito de Nelson Évora que não podia pagar 200 mil euros anuais a um atleta.
O Sporting também não. Fracassos de gestão não se explicam com esse tipo de afirmações.
Nelson Évora já disse que era um atleta livre antes de se vincular ao Sporting. O Benfica alega que tinha opção por mais um ano.
Isso é mais uma ilusão.
Mas estava livre ou não?
Claro. Tenho cópia do contrato dele com o Benfica. E num dos artigos diz mais ou menos isto: o Benfica terá o direito de renovar desde que isso seja o desejo de ambas as partes. Houve uma parte que não quis. O contrato está bem feito.
O Sporting está tranquilo?
Não tem problema nenhum. As pessoas não perceberam que isto é a lei do mercado. Não era normal, o Sporting estava enfraquecido.
Com Nelson Évora quer ser campeão nacional mas a sua contratação também visa Tóquio 2020?
O Nelson traz com ele, além do prestígio pessoal e do valor como homem, três possibilidades: ajudar o Sporting na conquista do campeonato nacional, conquista de um Europeu, de clubes e de seleção, e é uma aposta importante em Tóquio. Só vejo vantagens para o Sporting.
Será uma desilusão se não forem?
Claro que sim.
Então o atletismo do Sporting tem como ambição ganhar tudo?
É para ganhar masculinos e femininos coletivamente.
Em 2014, ao DN, disse: "Há um acordo tácito e tem funcionado, principalmente com o Benfica. Se o atleta quer sair, não nos opomos." Este pacto mantém-se?
Não me pergunte isso a mim. O Rui Silva saiu do Sporting para o Benfica antes do Nelson Évora.
Foi o Benfica que começou?
Isso é evidente. Há quanto tempo está lá o Rui Silva? Ele foi-se embora, não foi? O Rui esteve cá 17 anos. Depois disse que ia para o Benfica. Se há uma quebra desse pacto não tem de me perguntar a mim. Se isso aconteceu, e está provado, porque tenho de respeitar algo que mais ninguém respeita? Só se fosse tolinho.
Então considera que esta guerra não foi iniciada pelo Sporting?
Não, não foi o Sporting que começou. Por outro lado, eu não fui bater à porta a ninguém. Nós criámos um nível de acolhimento muito bom. E os atletas que estão no Benfica sabem que o Sporting mudou.
Vieram bater à porta do Sporting?
Grande parte ou na totalidade. Não posso dizer que não houve nenhum que não tivéssemos sido nós a falar. O meu telefone tem tocado... pessoas que nem conheço pessoalmente. Criámos as condições e ficámos à espera. Estou aqui como um Cristo-Rei, de braços abertos para todos os excelentes atletas que queiram vir para o Sporting.
Houve alguma proposta ou conversa com Telma Monteiro sobre um possível ingresso no Sporting?
Nunca telefonei à Telma nem lhe passei qualquer proposta. Fez-se constar à Telma que estaríamos interessados, eventualmente, em estudar a hipótese de ela reforçar o Sporting. E depois ficámos de braços abertos à espera que ela desse um sinal. Não deu, paciência. Que seja muito feliz no Benfica. É uma excelente atleta e gosto muito dela.
Mas quem fez constar?
Já disse que estou aqui de braços abertos. Alguém poderá ter feito constar isso no judo.
Luís Filipe Vieira disse que a Telma tinha recebido uma proposta irreal para o panorama nacional.
Irreais são essas declarações e só se entendem num processo eleitoral.
A Telma Monteiro teve noção de quanto o Sporting lhe oferecia?
Negativo. Nunca se discutiram valores aqui no Sporting sobre essa matéria. Se isso nunca foi discutido entre mim, o presidente e o Rui Caeiro... se alguém falou fê-lo sem capacidade para tal.
O Sporting reforçou-se bastante no hóquei em patins e no andebol. O objetivo assumido é o título nacional?
O objetivo é sermos campeões em hóquei em patins, andebol, futsal e atletismo masculino e feminino.
Será uma frustração se estes objetivos não forem cumpridos?
Para mim será uma desilusão se não formos campeões nacionais nestas quatro modalidades.
Como é a sua relação com Bruno de Carvalho? Houve um momento agitado depois de a parceria no ciclismo com a W52 ter falhado?
Não. Nessa altura fui iludido. Quando só faltava assinar recebemos telefonemas importantes, que não posso revelar. Senti que podia meter o clube numa situação complicada.
Pensou demitir-se?
Tive o enfarte a 15 de dezembro, no dia do jantar do Comité Olímpico. Nem jantei porque me sentia mal e à entrada falei sobre o ciclismo. Isto para explicar que não houve oportunidade de o presidente me dizer que tinha arranjado um sarilho.
Porque não avançou a parceria com a W52, que acabaria por se associar ao FC Porto?
Felizmente parámos o processo a tempo, podia ter trazido graves consequências.
Quem toma a decisão da quebra?
O Sporting. Fomos alertados... E a W52, ao perceberem que havia hesitações, comprometeram-se com o FC Porto. Foram hábeis.
O Sporting fez uma proposta a Gustavo Veloso, recusada pelo ciclista do FC Porto. O investimento vai aumentar no ciclismo?
Queríamos que a equipa fosse mais forte, ficámos desiludidos com a participação na Volta a Portugal. É melindroso falar de assuntos que rodeiam o ciclismo. Há coisas que não compreendo.
Está a falar de quê?
Não percebo como um rolador nato se mostra um grande trepador.
Está a falar de doping?
Não estou a acusar ninguém. Mas que há coisas que a mim, que sou um leigo, me causam estranheza... isso há. Se fazemos uma equipa para disputar uma competição 100% limpa é uma coisa. Quem investe mais, tem melhores atletas e mais hipóteses de ganhar. Se duvidamos disso não é por aí que resolvemos o problema.
O ciclismo português não é limpo?
Tenho dúvidas sobre certas prestações.
Quer nomear?
Não, não quero.
Perante essas dúvidas, o que vai fazer o Sporting ?
Manter o investimento.
200 mil euros anuais?
Não estou autorizado a dizer, mas são valores relativamente baixos.
Qual é a modalidade do seu pelouro com mais orçamento?
Isso é fácil de dizer.
O futsal?
Claro.
E depois vem o atletismo?
Ainda não. O andebol e o hóquei.
Acha que Moniz Pereira ficaria satisfeito por ver o Sporting apostar tanto nas modalidades?
Com certeza, como ficou, em vida, quando viu pela primeira vez uma equipa do Sporting ganhar um campeonato europeu feminino. Isso deu-lhe a tranquilidade que ele não tinha nos primeiros tempos desta equipa diretiva. O que estamos a fazer respeita a sua memória.
Que balanço faz do mandato de José Manuel Constantino, seu sucessor à frente do Comité Olímpico de Portugal?
Não quero entrar nessa apreciação. Tem feito um bom trabalho e não diria mais nada.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

ELEIÇÕES 2016

Vieira reeleito com números históricos: Assim acompanhámos as eleições

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

[Palhinhas.28.jpg]
[Palhinhas.28.jpg]

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

DO - 68.169,60

MA - 62 O11,01

CC  - 756,05.....O,77

S. JOÃO - 186,13...0,11

ALCAB - 5 261,41 -...5,3 %

DP - 30 000 - 30,56

DP - 30 000 - 30,56

26.10.2016

sábado, 22 de outubro de 2016

Como aprendem e praticam os futuros dentistas no Porto



A Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto dá cerca de 30 mil consultas anuais à comunidade, a preços reduzidos, facilitando o acesso a tratamentos e preparando os alunos para o mercado de trabalho.



quarta-feira, 19 de outubro de 2016

O Sporting vai apresentar uma exposição à UEFA sobre o caso dos vouchers, que se refere a ofertas do Benfica a árbitros, delegados e observadores nos jogos em casa dos encarnados. A informação foi avançada pelo diretor de comunicação dos leões, Nuno Saraiva, através da sua página de Facebook.
"Após ter sido dado como provado que estas [as ofertas] existiam, e de ter sido assumido pelo próprio Benfica e pela FPF de que as ditas 'ofertas' se estendiam também às competições europeias, e por não sabermos se esta práctica se mantem hoje em dia, entendemos fazer, também no tempo próprio, uma exposição à UEFA", afirmou o responsável, garantindo que o faz "sempre a bem do futebol e da verdade".
Os leões referem-se de forma indireta à carta que o Benfica escreveu a Fernando Gomes, onde pediu a abertura de um processo de averiguações e também que fosse solicitado à UEFA que fizesse o mesmo. "Importa também esclarecer o seguinte: o Sporting CP, no tempo próprio, fez as participações às instâncias do futebol português que entendeu obrigatórias, perante a informação de que dispunha, relativamente às 'ofertas' feitas aos árbitros, observadores e delegados nas competições nacionais", garante Nuno Saraiva.

Autor: Sérgio Krithinas

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

EMPRESA DO FILHO DE PINTO DA COSTA TAMBÉM RECEBEU DA SAD PORTISTA

Queda abrupta nas contas
Empresa do filho de Pinto da Costa também recebeu da SAD portista
Foto: Manuel Araújo
A FC Porto SAD apresentou o maior prejuízo de sempre e o passivo já atinge os 349 milhões de euros. São estes os números que constam no relatório enviado à CMVM. 

75,7 milhões de euros relativos a custos com pessoal, depois dos 69,9 milhões gastos em 2014/15. No entanto, a massa salarial direcionada a atletas e técnicos é praticamente a mesma, com 54,3 milhões de euros neste exercício e 54,1 milhões no que lhe antecedeu.

4,4 milhões de euros foram destinados a indemnizações por rescisão de contrato, nomeadamente de Helton, assim como a remunerações a liquidar às equipas técnicas dos ex-treinadores Julen Lopetegui e José Peseiro.

63,25 milhões de euros investidos na aquisição de reforços ou na compra de direitos económicos sobre jogadores que já pertenciam à SAD.

15,16 milhões de euros relativos a encargos adicionais (serviços legais,
prémios de assinatura de contratos, entre outros custos, etc.) do exercício em questão, depois dos 8,35 milhões de euros pagos na temporada 2014/15.

90,6 milhões de euros perfazem o valor atribuído ao plantel na última temporada. Em 2014/15 esta verba era de 65,9 milhões de euros.

1,97 milhões de euros relativos à remuneração da administração da SAD e das suas subsidiárias. Pinto da Costa auferiu 520 mil euros.

465 mil euros referentes a transações que envolveram a empresa Energy Soccer, da qual Alexandre Pinto da Costa é sócio. O valor diz respeito à intermediação das saídas de Quaresma e Rolando; da aquisição de Fede Varela; da renovação de Leandro Silva e da assinatura de contrato de Rui Pires.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

MONIZ E GAIOSO NA CORRIDA A NÚMERO DOIS

Certo é o regresso de Fernando Tavares à direção
Moniz e Gaioso na corrida a número dois
Um dos pontos que importa esclarecer no elenco diretivo concorrente ao próximo mandato é saber quem será o número dois, o elemento que substituirá Luís Filipe Vieira na ausência deste, funções que têm sido desempenhadas por Rui Cunha. Há dois concorrentes: José Eduardo Moniz e Nuno Gaioso. Estes dois estão na equipa liderada pelo empresário há quatro anos.
Jornalista e homem ligado à comunicação, Moniz, de 64 anos, apareceu em 2009, quando Vieira decidiu provocar eleições antecipadas. Moniz era um dos rostos de um movimento de oposição a Vieira, mas recusaria liderar uma candidatura aos órgãos sociais. Três anos depois, surgiu ao lado de Vieira. Acumulou o cargo de vice-presidente com o de administrador da SAD, como representante do clube, substituindo Gomes da Silva. Tem como argumento a favor o facto de ser personalidade mediática.
Mais discreto, mas não menos importante na estrutura, ou não fosse o homem das finanças, Gaioso foi uma das caras novas da lista que Vieira submeteu a sufrágio, nas eleições de 2012, em que concorreu contra Rui Rangel. Licenciado em direito e com formação em gestão, Gaioso, de 45 anos, defendeu as contas do clube na recente assembleia geral.
Um regresso
Certo é o regresso de Fernando Tavares à direção, oito anos depois de ter batido com a porta, em rota de colisão com a gestão do clube. Aos 67 anos, e depois de ter integrado a lista de Rangel, deverá ficar com as modalidades, pasta que tinha quando deixou o clube.

Autores: Vanda Cipriano e Nuno Martins

terça-feira, 11 de outubro de 2016


Presidente do Sporting visitou o Núcleo de Cumberland
Bruno de Carvalho está nos Estados Unidos, em representação do Sporting, e visitou o Núcleo de Cumberland, em Rhode Island, a cerca de 90 quilómetros de Boston.
O presidente dos leões comemorou o 50º aniversário da representação do Sporting, festejando o marco com cerca de 600 sportinguistas, aproveitando ainda para se encontrar com empresários da região.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Futsal de parabéns




Dois adversários ruins de "assoar"; o Vermoim  e o Sporting! Duas excelentes e merecidas vitórias! PARABÉNS!

PS: Gostei de ver a Capitã encarnada a elogiar as adversárias para quem tinham perdido o campeonato. Também gostei de ver os jogadores do Sporting, no final, a aplaudir os colegas do Benfica, a quem tinam vencido o campeonato.  Assim sim; luta-se com galhardia e sem tréguas pela vitória e respeita-se o leal adversário qualquer que seja o resultado. É o legado de Mário Wilson.

Bruno de Carvalho com 600 sportinguistas em Nova Iorque
Presidente do Sporting visitou o Núcleo de Cumberland
Bruno de Carvalho está nos Estados Unidos, em representação do Sporting, e visitou o Núcleo de Cumberland, em Rhode Island, a cerca de 90 quilómetros de Boston.
O presidente dos leões comemorou o 50º aniversário da representação do Sporting, festejando o marco com cerca de 600 sportinguistas, aproveitando ainda para se encontrar com empresários da região.